Novos tempos para o pilar da economia potiguar

Marcelo Queiroz, presidente do Sistema Fecomércio RN, Sesc e Senac

Na sexta-feira, 16, comemoramos o Dia do Comerciante. Tivemos, ao longo de toda a semana, uma intensa programação alusiva à data, organizada pelo Sistema Fecomércio Rio Grande do Norte. E, nesse contexto, me peguei refletindo sobre tudo o que mudou nas nossas vidas e nos nossos negócios nos últimos 16 meses.

É óbvio que este questionamento traz consigo uma série de inquietações, diante da crise sanitária e econômica que temos enfrentado em todo o mundo. Porém, por outro lado, a ruptura também nos dá a possibilidade de vislumbrar a enorme capacidade de adaptação, resiliência e criatividade que os nossos empresários possuem. E é sobre isto que eu gostaria de falar hoje.

Em cada município do Rio Grande do Norte, diariamente, podemos acompanhar histórias de empreendedores que estão se reinventando para seguir firmes em busca de seus sonhos. São pessoas que comercializam alimentos, insumos, serviços, medicamentos, itens de bem-estar, dentre outros. Homens e mulheres que fazem as atividades ligadas ao Comércio de Bens, Serviços e Turismo serem pilares para a nossa economia. Juntos, esses setores representam mais de 75% do nosso Produto Interno Bruto (PIB) e respondem por cerca de 330 mil empregos formais e diretos. Atualmente, a participação desses segmentos se aproxima da casa dos 80% do total de arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Aos poucos, temos visto a divulgação de projeções, ao mesmo tempo que nos indicam que ainda temos um longo caminho de recuperação a trilhar, também já nos permitem perceber que iniciamos os primeiros passos rumo à ansiada retomada. Tenho um olhar de confiança e acredito que, mais uma vez, a capacidade de superação do nosso povo vai se sobrepor aos desafios.

Acredito, também, que as mudanças trazidas pela pandemia, cada vez mais, têm se imposto para todos os segmentos. Desse modo, o processo de transformação digital é algo urgente, independente da atividade econômica. Buscar entender melhor as necessidades dos clientes e se preocupar em proporcionar uma experiência diferenciada, com bom atendimento em múltiplas plataformas, entrega rápida e produtos de qualidade, são outros pontos essenciais para a geração de resultados positivos.

Em todos esses desafios, os empreendedores norte-rio-grandenses podem contar com a ação efetiva do Sistema Fecomércio RN, quer seja por meio da Federação, do Sesc ou do Senac, com iniciativas de capacitação, educação, saúde, cultura, lazer e assistência, prestando um serviço integral para empresários e trabalhadores.

Temos expandido nossa capacidade de operação, criado novos produtos e serviços e estamos ainda mais focados no atendimento aos novos anseios desses tempos singulares.

Minha principal mensagem, portanto, é de plena confiança em dias melhores. Preciso reforçar a máxima de que a Fecomércio Rio Grande do Norte segue empenhada na defesa deste segmento, que é essencial nesse caminho de retomada, que, a partir de agora, só tem uma direção possível: em frente!