Presidente Marcelo Queiroz e vices Gilberto Costa e Luiz Lacerda participam de Conferência de Comércio Internacional e Serviços do Mercosul na sede da CNC, no RJ

Acompanhado dos vice-presidentes Gilberto Costa e Luiz Lacerda, o presidente do Sistema Fecomércio RN e diretor Administrativo da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), Marcelo Queiroz, participou, nesta sexta, 11, no Rio de Janeiro, da Conferência de Comércio Internacional e Serviços do Mercosul. No evento, um dos pontos destacados foi o fato de que o acordo entre o Mercosul e a União Europeia terá um impacto de aproximadamente US$ 79 bilhões na economia brasileira até 2035, segundo estimativa da CNC. O valor poderá chegar a US$ 112 bilhões, se for considerada a redução de barreiras não tarifárias, de acordo com a Confederação.

Na abertura do evento, o presidente da CNC, José Roberto Tadros, destacou o papel institucional da Confederação no debate, que teve como finalidade analisar temas de interesse comum entre as Câmaras de Comércio dos países que integram o Mercosul, além de discutir estratégias de atuação dessas representações empresariais. “Faz parte das funções da CNC promover a boa interlocução entre o poder constituído e os anseios do empresariado”, disse Tadros.

“O evento foi bastante produtivo para entendermos as nuances e o potencial do comércio multilateral que se descortina entre as muitas oportunidades que o Mercosul traz para a nossa economia, além de nos aprofundarmos em questões de comércio internacional que se interligam, por exemplo, com o acordo com a União Europeia, do qual o nosso RN pode ser beneficiado, com nossas frutas, cachaças e queijos artesanais, por exemplo”, afirmou Marcelo Queiroz.

O acordo Mercosul-UE permitirá, entre outros pontos, agilizar e reduzir custos dos trâmites de importação e exportação de bens, diminuindo a burocracia e aumentando a transparência para os operadores econômicos. “Vamos abrir novos mercados em um continente rico para exportar”, destacou o presidente da CNC. Segundo Tadros, a competitividade global sempre existiu, mas a evolução é necessária: “Cada vez mais é preciso procurar mercados oferecendo produtos de melhor qualidade a preços menores”.

Além das perspectivas do acordo com a Europa, a Conferência debate temas estratégicos para o setor de comércio e serviços, no âmbito do bloco econômico, como a negociação comercial com a Associação Europeia de Livre Comércio (Efta) e o papel das câmaras de comércio no fortalecimento das relações intrabloco.

Nesse sentido, o presidente da CNC destacou também a necessidade de maior integração entre os mercados da América do Sul. “Somos latinos, ibéricos, sul-americanos e estamos vocacionados a uma coexistência que precisa transformar a dependência mútua em oportunidade de elevar os padrões econômicos, sociais e de qualidade de vida dos nossos povos”, ressaltou Tadros, que completou. “Temos que trabalhar juntos por uma integração definitiva, e essa integração deve ser efetivada por nós, empresários.”

Um dos convidados para o debate, o embaixador Pedro Miguel da Costa e Silva reforçou que é preciso aproveitar as oportunidades que surgem dentro do continente sul-americano. “Com a conclusão do programa de eliminação de tarifas com o Peru, neste ano, já temos uma área de livre comércio no continente com quase todos os países. Praticamente não há mais tarifas, e precisamos aproveitar isso beneficiando as nossas exportações”, afirmou Costa e Silva, que é coordenador nacional do Grupo Mercado Comum, no exercício da Presidência Pro-tempore do Mercosul.

Sobre o evento
A CI19 é um evento do Conselho de Câmaras de Comércio do Mercosul, integrado pela CNC. As reuniões ocorrem, alternadamente, nos países onde estão sediados seus membros. A organização da Conferência de outubro de 2019 ficou a cargo da entidade brasileira, pois o Brasil está na Presidência Pro-tempore do Conselho de Câmaras de Comércio do Mercosul (CCCM). A primeira edição foi promovida pela Câmara Argentina de Comércio e Serviços (CAC), no dia 21 de março deste ano, em Buenos Aires – ARG.