Especialistas debatem tendências e estratégias para eventos em seminário da CNC

O Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), promoveu, no dia 10 de outubro, o seminário Novos Mercados, Novas Estratégias, o terceiro da série Turismo – Eventos em Debate.

Na abertura do evento, o presidente do Cetur/CNC, Alexandre Sampaio, pontuou sobre o futuro político no Brasil. “Precisamos mostrar a importância do setor para a próxima gestão política. Lançaremos em breve um novo estudo sobre empregabilidade no Turismo durante um ano”, disse Sampaio.

Primeiro convidado do seminário, o diretor de Congressos da MCI Brasil, Rodrigo Cordeiro, falou sobre as principais tendências do setor. Segundo ele, as razões pelas quais as pessoas participam de eventos não são as mesmas de 20 anos atrás. “As mudanças sociais e tecnológicas transformaram a essência e a motivação dos eventos, que devem ser organizados ou promovidos com a estratégia correta para atingir o público alvo”, disse. Responsável pela realização de eventos de grande porte, nacionais e internacionais, Cordeiro ressaltou que é preciso pensar numa proposta que pegue uma bola quadrada e a transforme numa bola redonda. “O evento não é uma ciência humana, mas uma ciência exata”, pontuou.

Mediado por Vanessa Martin, mestre pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), o primeiro painel foi sobre o poder das novas tecnologias e os eventos. O diretor de Inovação da MCI Brasil, Ney Neto, apresentou as principais tendências em tecnologia que já estão presentes no dia a dia das empresas e das marcas; e o uso do event design nas estratégias de marketing. Para ele, as tecnologias permitem que se meça muito melhor os resultados de um evento, mas não dá para fazer um planejamento de comunicação do seu produto somente no digital. “É importante incluir uma estratégia de design de eventos, realizando ações on e off-line, com as quais você consegue manter um ciclo de participação ativa no seu evento”, pontuou.

A outra convidada do painel, Thais Schaufer, diretora da Mobile Marketing Association (MMA), falou sobre a tecnologia mobile como um impulsionador da transformação no mercado de eventos. Apresentando alguns cases, Schaufer disse que o uso do mobile é o mais próximo que se pode chegar do consumidor. “As novas tecnologias começam como inovação, mas acabam gerando uma transformação no mercado e na forma como a gente consome ou avalia algum produto”, frisou.

O segundo painel trouxe para discussão os novos mercados e as estratégias mais assertivas. Diretora comercial e de MKT do Transamérica Hospitality Group, Rosangela Gonçalves abordou a questão da hotelaria, inclusive os desafios do setor. “Nosso segmento deve participar ativamente no planejamento e processo de captação de eventos. Precisamos ser mais ativos”, ressaltou.

Especialista em projetos de festivais culturais japoneses, Takao Sato, CEO da TASA Eventos, falou sobre a geração de negócios por meio de Festivais Culturais Étnicos, apresentando dois cases de grande sucesso: Costão Matsuri e Festival Rio Matsuri.

Para fechar o painel, o ex-vice-presidente sênior da Reed Exhibitions, Juan Pablo De Vera, abordou o tema “Novos Eventos para Novos Mercados exigem uma Nova Liderança com Novas Atitudes”, compartilhando seus aprendizados na Singularity University.

Encerrando os painéis, o presidente do Cetur/CNC, Alexandre Sampaio, pontuou que os eventos vão caminhar com a tecnologia e o que Turismo tem um futuro brilhante pela frente.

O seminário Novos Mercados, Novas Estratégias é o terceiro da série Turismo – Eventos em Debate. O próximo encontro da série acontecerá em dezembro, na sede da CNC/RJ.

Fonte: CNC