Agricultura familiar e feminina

Que o programa Mesa Brasil doa alimento de onde sobra para onde falta, disso todos sabem. Mas que ele está incentivando a agricultura familiar, e mais, a autonomia da mulher do campo, isso é um fator novidade.

Na região do Seridó, o Mesa Brasil vem fortalecendo, desde 2016, importantes laços com associações e cooperativas baseadas na agricultura familiar. A Cooperativa dos (as) Agricultores (as) Familiares de São João do Sabugi (COAFS) e a Associação Comunitária dos Sítios Furna da Onça II, composta por agricultores (as) de Pedra D´água, Boa Vista, Logradouro dos Angicos e Riacho dos Grossos, foram as entidades às quais o programa do Sesc se uniu há dois anos. Ambas têm mulheres à frente tanto da produção quanto da coordenação, o que contribui para uma maior autonomia e participação social da mulher do campo.

“O Mesa Brasil já presta um serviço imensurável à sociedade quando leva alimentos a quem precisa e capacita as pessoas das comunidades beneficiadas sobre conservação e aproveitamento de alimentos. Somar mais impactos sociais positivos a esta gama de ações, no caso o fomento à agricultura familiar e ao protagonismo da mulher do campo, nos enche de orgulho e felicidade”, comemora o diretor regional do Sesc, Nivaldo Pereira.

As doações das cooperativas ao Mesa Brasil são intermediadas pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do Governo Federal, que utiliza mecanismos de comercialização para facilitar a aquisição direta de produtos de agricultores familiares. Parte destes alimentos é destinada a populações em situação de vulnerabilidade social, como é o caso dos integrantes de instituições sociais cadastradas no Mesa Brasil.

Em 2017, graças à parceria com estas entidades, foram distribuídos quase 27 toneladas de alimentos a 19 entidades sociais localizadas em Caicó, São João do Sabugi e Currais Novos. Entre as doações, estiveram não só alimentos naturais, como coentro, alface, pimentão, couve e abobrinha, mas também produtos beneficiados cujos ingredientes advieram da agricultura familiar, como bolachas e bolos.

Os itens alimentícios também foram elaborados com o auxílio do Mesa Brasil, que capacitou as agricultoras quanto a práticas de higienização e manipulação de alimentos. “Escolhemos o Sesc pela questão de organização, da responsabilidade. Eles também nos oferecem cursos de capacitação de boas práticas e facilitam a entrega, porque vêm pegar aqui na cooperativa”, ressalta a coordenadora do núcleo de mulheres da COAFS, Anna Aline Morais.

Parceria renovada

A parceria entre Mesa Brasil e as cooperativas do Seridó não só continuará em 2018, como será ampliada. Às duas alianças, serão somadas mais duas: uma com o Desenvolvimento Comunitário de Santa Tereza e Adjacências e outra com a Associação dos (as) Produtores (as) Rurais de Cruzeta Velha, por meio das quais o programa receberá 112 mil litros de iogurte. A união só foi possível graças à intermediação da EMATER de Currais Novos. A previsão é de que, em 2018, sejam arrecadadas e distribuídas 15 toneladas de alimentos.

A união possibilitará o beneficiamento de instituições sociais nos municípios de Santana do Matos, Jucurutu, Caicó, São José do Seridó, Cruzeta, São João do Sabugi e Currais Novos. “É uma parceria muito positiva. As instituições que recebem elogiam as produtoras, porque o Sesc divulga de onde vêm os alimentos. Promove a autonomia tanto das famílias rurais quanto das famílias contempladas com as doações. A parceria é não só financeira, mas social também. Não pretendemos escolher outra instituição”, elogia a coordenadora do núcleo de mulheres.