Para presidente da Fecomércio RN, alta na intenção de consumo das famílias deve contribuir para vendas fecharem 2018 no azul

O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do RN (Fecomércio RN), Marcelo Queiroz, comentou no início da tarde desta sexta-feira, 14, os números relativos à pesquisa de intenção de Consumo das Famílias, divulgada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC).

Segundo a pesquisa, a Intenção de Consumo das Famílias (ICF) atingiu, agora em dezembro, 91,2 pontos, chegando ao maior patamar desde junho de 2015 (quando havia registrado 91,7 pontos). A ICF de dezembro é 4,2% maior do que a do mês anterior (87,6 pontos), a maior taxa desde 2010. O número também é superior (11,7%) ao de dezembro do ano passado.

Apesar disso, o indicador se mantém abaixo dos 100 pontos e, portanto, ainda é verificada uma insatisfação dos consumidores. A última vez que a ICF ficou acima de 100 pontos foi em abril de 2015 (102,9 pontos).

A alta da taxa de novembro para dezembro foi provocada por crescimentos nos sete componentes do indicador, com destaque para a avaliação de que o momento é bom para a compra de bens duráveis (11,2%) e para a perspectiva de consumo (7,2%).

“Este é um dado animador, sobretudo agora, quando estamos entrando na última semana antes do Natal. Acredito que, apesar dos revezes pontuais e até mesmo do compasso de espera que vivemos ao longo de quase todo o ano de 2018, estes últimos dias de dezembro devem ser de aquecimento nas vendas do comércio, o que deverá contribuir fortemente para conseguirmos fechar as vendas do ano com o crescimento entre 4% e 5% que projetamos no início deste segundo semestre”, afirmou Queiroz, que credita esta empolgação tardia ao clima festivo e ao sentimento de esperança na recuperação da economia em 2019.