Combustível mais econômico é favorável ao Turismo, diz Embratur

Na última quinta-feira (16), o diretor-presidente da Embratur, Gilson Machado Neto, recebeu representantes do Sindicato de Produtores de Açúcar e visitou o presidente Jair Bolsonaro em apoio ao Projeto de Decreto Legislativo nº 978/2018. A medida susta o artigo 6º da Resolução nº 43 da Agência Nacional do Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), de 22 de dezembro de 2009, que veda a comercialização de etanol diretamente entre os postos de combustíveis e as usinas.

“O setor turístico é o conjunto de organizações que funcionam como um sistema no qual cada atividade se completa e impacta no mercado e na experiência do viajante. O dispositivo que se pretende sustar dificulta a concorrência no mercado e, por consequência, torna o valor do combustível mais elevado para toda a cadeia que se utiliza de meios de transporte na sua atividade fim, em especial, uma vasta cadeia de empresários do setor turístico, tais como agências de viagem, operadores de turismo, companhias aéreas etc”, afirma Gilson Machado Neto.

Na terça-feira (14), a Embratur encaminhou um ofício para o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, em apoio à votação do PDC. Ao sustar o artigo 6º da Resolução nº 43/2009 da ANP, será retirado um obstáculo para que os produtores de etanol tenham a possibilidade de comercializar diretamente com os postos de combustíveis, sem a necessidade de passar pelos intermediadores, barateando o custo com a aquisição do produto.

“Ao permitir a venda direta, temos certeza que será proporcionada uma maior concorrência no mercado de combustíveis, resultando em um menor preço do produto. Além disso, teremos ganhos na eficiência econômica com previsíveis impactos positivos sobre os preços ao consumidor final, reforçando, assim, o setor turístico como a solução para o aumento do emprego e da renda da população brasileira”, ressalta o diretor-presidente da Embratur.

Fonte: Panrotas